R. Mozart Calheiro, 645, Dourados - MS (67) 99949-9078
Fotos, Notícias

     A Profª Maira Brum, concluiu neste mês no Instituto Phorte de Educação em São Paulo, o Curso de Certificação em Corrida – Metodologia VO2 PRO.

     A Certificação VO2 PRO tem por base a aplicação sistematizada de princípios do treinamento a partir de uma ampla bagagem técnica e fundamentação científica atualizada em uma metodologia criada pelo professor Alexandre Machado e que conta com a colaboração de profissionais de destaque no treinamento de corrida voltado para a saúde e o redimento.

      A metodologia VO2 PRO tem por objetivo oferecer recursos aos profissionais de trabalham ou que pretendem trabalhar com a corrida, um referencial teórico e prático para a prescrição desta modalidade,  que servirá de diferencial com alto valor agregado para o mercado de trabalho.

       Vários atletas já estão utilizando esta metodologia para melhorar seu rendimento e ao professora Maira é a única no Estado de Mato Grosso do Sul que possui a certificação.

     Não fique fora desta, conheça Maira Brum  Assessoria Esportiva, participe do nosso grupo de corrida e venha para o time dos campeões ! 

     Conheça mais sobre a metodologia e veja as assessorias no Brasil credenciadas no site:

 //www.vo2pro.com.br/credenciamento.htm

 

0

Notícias

A corrida é nos dias atuais a segunda modalidade esportiva mais praticada no Brasil e em nosso estado não seria diferente, fazemos parte desta nova paixão nacional. Endorfina, hormônio do bem-estar… NÃO TEM IDADE.

Diversos fatores têm contribuído para aumentar a busca pela atividade física, sejam eles: bem-estar, saúde, qualidade de vida, emagrecimento, longevidade. Com certeza alguns destes fatores já fizeram parte da sua vida. E o que você fez? O que buscou para satisfazer essas necessidades.

As respostas podem ser as mais variadas possíveis, mas com certeza muitas delas, passam de longe pela orientação segura de um profissional. O embasamento teórico, momento em que você entende os porquês, os limites a serem respeitados, identifica suas características, enfim, passa a se conhecer melhor, fica condenado a segundo plano.

Muitos passam diretamente para o treinamento prático, sem respeitar os fatores fisiológicos. Vícios de postura, o estado de saúde geral, enfermidades, tudo é desconsiderado pela “ilusão” da saúde perfeita.

Já identifiquei em vários alunos, a falta de fatores essenciais para prática da corrida, como o vestuário adequado, horários, alimentação, ingestão de líquidos e periodicidade de treinamento, a fim de garantir-lhes os resultados esperados.

É preciso também respeitar a natureza, as condições climáticas, fatores meteorológicos, afinal, não somos “super homens”, mas pessoas comuns, dotadas de qualidade físicas específicas em maior ou menor grau.

Pois bem, devemos enfrentar esses fatores, mas sempre com cuidado, as altas temperaturas associadas à baixa umidade na nossa região é fator preocupante. Existem vários sites onde o atleta pode verificar os índices de umidade relativa do ar e se precaver, aumentando a ingestão de líquidos e evitando os horários de maior exposição ao sol, variando ainda o percurso, procurando parques e locais com mais sombra.

Da mesma forma encontramos obstáculos nos frios dias de inverno. Nesses períodos, há como fazer treinos alternativos, esteiras, spinning, enfim, tudo de acordo com as opções do local onde se vive. Outra opção é verificar os horários mais quentes do dia, evitar correntes de ar e principalmente se agasalhar, é lógico que sem exageros.

Bem, não é à-toa que temos vários corredores de renove no cenário nacional, que fizeram seus treinos ainda como iniciantes, como muitos de nós iniciantes e porque não dizer até aventureiros, mas num dado momento de suas carreiras, perceberam a necessidade de mudança e de utilização de técnicas e cuidados especiais como forma de manter a saúde e favorecer sua performance.

Venha para o time dos campeões. Maira Brum Assessoria  Esportiva…..Você em primeiro lugar!
0

O treinamento funcional tem sido muito difundido nos últimos anos na área do condicionamento físico.Muitos profissionais de Educação Fisica têm aderido a essa metodologia, associando instabilidade na execução de exercícios físicos para conduzir os treinamentos.Pode-se dizer que o Treinamento funcional refere-se a um conjunto de exercícios praticados como preparo físico ou com o fim de apurar habilidades, os exercícios do treinamento funcional apresentam propósitos específicos. Refenrem-se a movimentos que mobilizam mais de um segmento ao mesmo tempo, pode ser realizado em diferentes planos e que envolvem diferentes ações musculares(excêntrica, concêntrica e isométrica). Core,este treinamento assim como o treinamento funcional, tem sido utilizado em programas de exercícios voltados a qualidade de vida,à saude e a melhora das dores nas costas. O core, é é constituida pelos musculos abdominais na frente, pelos paravertebrais e glúteos na parte posterios, entre outros, na região do core, localiza-se, o centro da gravidade,e é nessa região onde todos os movimentos tem início. Mas por que treinar o core? O core opera como uma unidade funcional integrada, por meio do qual toda a cadeia cinética trabalha sinergicamente para produzir força e reduzir ae estabilizar dinamicamente contra uma força anormal.Em um estado eficiente cada componente estrutural, distribui peso, absorve forças e transfere forças de reação do solo.  fonte: Treinamento funcional, uma abordagem prática, de Alexandre Evangelista e Artur Monteiro.  
0

Notícias

A prática de exercícios por conta própria: saiba mais sobre os riscos causados!

Na atualidade, cresce mais o número de praticantes de exercícios que treinam por conta própria nas academias ou em suas próprias residências. Isto é causado pela facilidade de acesso a algumas informações sobre treinamento adquiridas pela própria internet, revistas, vídeos ou pela vivência nas academias. Porém, ao treinar por conta própria estes indivíduos deixam de contar com o auxílio e o conhecimento dos professores de educação física e até colocam sua saúde, física e mental em risco. Podemos considerar que o maior fator de risco num treinamento por conta própria são as lesões. As lesões podem ocorrer por gestos motores realizados incorretamente, onde as posturas incorretas colocam a coluna vertebral e as articulações em descompensação de cargas, riscos de lesões articulares e desvios posturais, levando o corpo a fadiga muscular e mental, causando muitas vezes excessos de treinamento, o overtraining.

O overtraining é a combinação de três fatores: quantidade abusiva de treinos, pouco descanso e uma dieta pobre. As consequências, por sua vez, vão da ordem muscular, passando por problemas nas articulações, até resultar em malefícios no sistema imunológico e no aspecto psicológico até a depressão.

– Eu pifei, tive um curto circuito no meu corpo. Não conseguia levantar a perna, subir uma escada e ainda por cima estava sem voz – acrescenta. (professora de ioga Adriana Camargo, que treinava por conta própria).

Fonte: //globoesporte.globo.com/atletismo/corrida-de-rua/
0